Jogar videogame nem sempre foi uma atividade social. Sim, dá pra ficar horas a fio sozinho na madrugada. Mas é sempre melhor quando a diversão é compartilhada.

Publicado
Junho 2016
Tópicos

Se irmãos disputam pra ver quem é o melhor até em cuspe a distância, imagina no game. Até briga rola. E qual gamer que se preze que nunca juntou os brothers pra um torneio de futebol nos controles? O título de melhor boleiro virtual do condomínio vale mais que seu nome na lista do jogo. Vale o direito de tirar onda.

Agora imagine todas as ruas, prédios e condomínios do mundo inteiro. São centenas de milhões de jogadores, muitos jogando uns contra os outros ao redor do planeta. Se na hora de competir com os amigos o bicho pega, imagine quando é pra valer. Campeonatos oficiais se tornaram tão grandes que são disputados em estádios de futebol. É, os E-Sports vieram pra ficar.

De olho na tela // Livestreaming

Treino é treino, jogo é jogo. E não importa se é futebol ou game. É sempre um evento e as pessoas também estão se reunindo pra acompanhar os e-sports. Mesmo quem não joga assiste. E como assistem! Os campeonatos oficiais rolam com muita torcida em arenas, ginásios, e estádios. Todos lotados. Mas a maior arquibancada é a da internet. Os livestreams atraem multidões que não desgrudam o olho da tela.

[[inline-image-2]]

Haja coração, amigo // Shoutcast

Se tem um jogo rolando, alguém tem que narrá-lo. Não dá pra imaginar ver qualquer competição sem ver os gritos empolgados e chavões de quem narra e comenta. Nos e-sports, os narradores são conhecidos como shoutcasters. E o negócio é tão emocionante que vários deles berram do começo ao fim. Não faltam motivos pra chamar de “shout”. Tudo é mais profissa do que você imagina. Mesa-redonda? Check. E também vai ter bastante espaço para polêmicas: os cheat codes, aqueles truques para trapacear no jogo, serão a nova forma de doping.

[[inline-video-2]]

No ar: você // Streamers

Já assistiu àqueles vídeos onde pessoas reagem à videos da internet. Dá pra passar horas vendo pessoas reagindo desde vídeos de gatinhos até coisas mais estranhas. E sabe quem também reage a uma tela das formas mais inusitadas? Os gamers. É por isso que, nos últimos anos, uma nova tendência apareceu: pessoas que transmitem suas próprias sessões de jogo. Como assim? É isso mesmo. A galera simplesmente joga, faz comentários e mostram suas reações. São os streamers. Enquanto isso, elas filmam sua tela e transmitem tudo, ao vivo ou não. E milhões assistem. Parece esquisito, mas não é o que os números dizem.

[[inline-image-3]]

E a galera curte. A maioria dos streamers faz piadas durante o jogo. Alguns até berram, como o PewDiePie. Outros vão para um lado mais informacional, dando dicas enquanto jogam. E para quem joga pode ser uma grande fonte de renda. Gente que arrecada valores de 6 e até 7 dígitos. Matricule seu filho na escolinha de game. Aulinha de futebol é coisa dos anos 80.

Dá uma olhada no Rei do YouTube: PewDiePie e seus quase 50 milhões de assinantes.

[[inline-video-1]]

[[inline-image-4]]

O melhor dessa grande explosão da cultura gamer é que você agora já pode estar andando na rua e dar de cara com um jogo acontecendo. Dá uma olhada aqui como tudo agora pode virar game.

[[content-callout-1]]

Quer saber mais insights sobre gaming?

  1. Todo mundo tem seu jeito de jogar.
  2. Jogando no mesmo nível de Hollywood.
  3. A dica certa para aprender qualquer jogo.
  4. No online o mundo todo se encontra.
  5. Jogando a real: game pode ser tudo.
  6. Jogue os Dados

Outros insights

  1. Music
  2. Beauty
  3. Cooking