O YouTube continua sendo o site mais utilizado pelos brasileiros para assistir a vídeos. A afirmação é baseada nas pesquisas Video Viewers 2015 do Google Brasil, em parceria com a Provokers, e Brand Building on Mobile, com a Research Reds, divulgadas durante o YouTube BrandCast 2015, realizado este mês, em São Paulo. A enquete, que ouviu 1500 pessoas entre os meses de julho e agosto deste ano, teve o objetivo de entender quem e como assiste a vídeos online e offline. Suas descobertas lançam luz sobre aspectos importantes do YouTube como parte essencial na construção e na disseminação da cultura brasileira e como as marcas podem fazer parte delas.

Publicado
Novembro 2015
Tópicos

Os vídeos na internet também fazem parte da rotina de 69% das pessoas que assistem TV no Brasil [1]. Dessas, 95% utilizam o YouTube para isso, um crescimento de dez pontos porcentuais em relação a 2014. Esses são alguns dados revelados pela pesquisa conduzida pelo Google Brasil, em parceria com a Provokers, cujo objetivo foi compreender a experiência de consumo de vídeo em geral, on e off, nas diferentes plataformas disponíveis no país. Ela também serviu para comprovar o poder do vídeo no mobile, assunto que já debatemos anteriormente em Vídeo online: a nova peça-chave para sua estratégia de mobile marketing. Os novos dados mostram ainda que o YouTube é, disparadamente, o preferido para ver anúncios e que as pessoas prestam mais atenção quando assistem a vídeos no YouTube, seja no mobile ou no desktop.

Smartphones são os dispositivos mais usados e preferidos para assistir a vídeos na internet, superando o uso dos computadores.

Dispositivos mais utilizados para assistir a vídeos [1]

[[inline-image-1]]

A pesquisa também descobriu que 40% do total das horas assistidas de vídeo são via internet, um crescimento significativo de 13 pontos porcentuais em relação à mesma pesquisa em 2014 [1]. Desse total, quase a metade do tempo é assistido nos smartphones.

Smartphones respondem por quase metade do tempo dos vídeos assistidos na web [1]

[[inline-image-2]]

Por não sermos iguais nos gostos, nos usos e nem nas expectativas em torno do conteúdo que esperamos encontrar, o estudo detectou quatro perfis diferentes de brasileiros que assistem a vídeos, baseados em uma lista de 40 atributos comportamentais. São os que assistem o que e quando querem, os que valorizam o conteúdo de TV, os que consomem entretenimento basicamente pelo smartphone e os que consideram a TV irrelevante.

Como já sabemos, o brasileiro é multitelas e essa é uma característica que cresce entre a audiência de TV que, como consequência, presta menos atenção ao que está passando. Segundo o levantamento, 76% dos brasileiros que assistem TV fazem atividades simultâneas na sua segunda ou terceira tela. [1]

Quais atividades os brasileiros costumam fazer enquanto assistem TV [1]

[[inline-image-3]]

Independentemente dos perfis identificados, 77% das pessoas buscam na web por vídeos com conteúdos que não estão disponíveis na TV, enquanto 48% vão para o online porque perderam o programa transmitido [1]. Seja qual for o motivo, os dados da outra pesquisa Brand Building on Mobile mostram que os smartphones conseguem reter mais a atenção da audiência, segundo 64% dos usuários que assistem a vídeos em seus aparelhos [2]. Entre quem vê TV, essa afirmação cai para 40%. Em meio a tantas respostas, um detalhe chama a atenção: os celulares são mais utilizados para vídeos profissionais, como conteúdo de marcas, e amadores, como conteúdo de micro-momentos, enquanto o computador e a TV são mais utilizados para filmes e séries.

Tipos de conteúdos assistidos por dispositivo [1]

[[inline-image-4]]

Não por acaso, o YouTube é considerado importante na vida das pessoas e colocado como a principal plataforma para vídeos, com 72% concordando às vezes ou sempre como um substituto da TV [1]. O YouTube também lidera em humor, educação, notícias, concertos, músicas, sendo muito relacionado a entretenimento, aprendizagem e passatempo, além de ser bastante utilizado pela audiência ligada a assuntos como moda, saúde e medicina.

85% das pessoas estão propensas a prestar mais atenção a vídeos ou anúncios de marcas no YouTube quando vistos no smartphone. [2]

O YouTube também é um assistente de compras, pois 87% das pessoas o acessam pelo smartphone na hora de decidir comprar algo em uma loja física ou e-commerce [2]. Esse número sobe para 92% entre o pessoal de 18 a 24 anos. A pesquisa da Reds também revelou que 51% dos usuários de smartphones que assistem a vídeos em seus dispositivos se sentem mais conectados com as empresas que têm vídeo ou anúncios que podem ser vistos em seus aparelhos. Nesse mesmo grupo, 66% pensam mais naquelas empresas que disponibilizam vídeos com conteúdo que os ajudam a aprender algo sobre produtos e serviços. Nesse quesito, os YouTubers têm 25% mais sucesso que as celebridades das mídias tradicionais na hora de endossar produtos ou serviços online.

Por tudo isso, o YouTube assume o importante papel na construção e na disseminação da cultura brasileira, onde conexão e consideração com o consumidor, além de visão mais positiva de sua marca, tornaram-se seus sinônimos.


Fontes

[1] Video Viewers - Brazil, 2015 by Provokers
[2] Brand Building on Mobile - Brazil, 2015 by REDs