O consumidor brasileiro está cada vez mais conectado e grande parte da jornada de compra de carros já ocorre na Internet. Thiago Machado, Diretor de Negócios do Google, iniciou o Think Auto with Google explicando a nova realidade do mercado automotivo a partir do exemplo de Pedro Silva. A conclusão é que as marcas ainda não oferecem uma boa experiência on-line para os usuários.

Publicado
Setembro 2013
Tópicos

O consumidor brasileiro está cada vez mais conectado e grande parte da jornada de compra de carros já ocorre na Internet. Thiago Machado, Diretor de Negócios do Google, iniciou o Think Auto with Google explicando a nova realidade do mercado automotivo a partir do exemplo de Pedro Silva. A conclusão é que as marcas ainda não oferecem uma boa experiência on-line para os usuários.

O evento ocorreu no dia 13 de Setembro, em São Paulo, na sede do Google Brasil e reuniu cerca de 200 gestores e empresários do segmento automotivo para falar sobre os impactos da expansão da Internet no mercado e da mudança do perfil dos consumidores nesse segmento da economia.

As companhias Aéreas têm praticamente todas as suas receitas provindas da Internet e isso gera economia essencial na indústria, que tem margens cada vez menores. Como utilizar essa experiência para o mercado automotivo? Paulo Kakinoff, Presidente da Gol, serve como um exemplo perfeito para as montadoras, já que atuou no setor durante anos. Apesar das diferenças do mercado, afinal a experiência com o produto continua fundamental, é essencial prover ao cliente experiências e informações on-line consistentes, pois é durante a jornada de pesquisa que pode ocorrer a compra. Kakinoff cita dois direcionamentos para o mercado: primeiro pensar a estratégia na Internet como um todo e não com iniciativas pontuais como tem sido feito, depois pensar à Internet como complementar ao físico.

A Vice-Presidente Cate Riegner e o CEO Josh Crandall, ambos da Netpop Research, trouxeram dados da pesquisa em parceria com o Google pelo mundo todo sobre a jornada de compra do consumidor, cada vez mais atarefado e que, por isso, demanda respostas mais rápidas. A pesquisa aponta que cerca de 95% das pessoas utilizam a internet para pesquisar carros, 88% utilizam mecanismos de buscas como o Google e 61% assistem a vídeos sobre a categoria. Uma das principais razões é porque os compradores de carros são novos e têm alta renda. Mas durante a compra, os compradores costumam considerar em média 4,6 marcas e apenas um terço compra a marca que pensava no início da compra. Neste sentido, é importante estar bem posicionado antes e depois da compra, para fazer os clientes defensores de sua marca.

Por que YouTube no mercado automotivo? A Head de Desenvolvimento Estratégico de Agências, Gleidys Salvanha, lista 7 keypoints simples para utilizar vídeo on-line na sua estratégia: YouTube é mais do que TV, ele engaja e não tem dispersão. Vídeo faz parte da cultura do brasileiro. YouTube combina engajamento com volume. O canal on-line incrementa sua cobertura de mídia com rentabilidade. Vídeo on-line deve estar no esforço inicial das suas campanhas. YouTube deve fazer parte dos seus investimentos de mídia 70, 20, 10. Por fim, é necessário fazer a transição de uma estratégia de TV para uma estratégia de vídeo. Por que YouTube? A pergunta correta é: por que não YouTube? Julio Zaguini, Diretor de Agências do Google Brasil, trouxe a sua experiência no varejo para falar da importância de estar bem posicionado nos mecanismos de buscas.

Para provar isso, Julio compara os gráficos de busca com conversões e mostra que a primeira influencia muito a segunda em um período muito curto. E para ampliar a conversão ainda mais, é importante estar com um website que ofereça uma experiência superior ao consumidor, como se ele estivesse na concessionária, afinal a plataforma permite oferecer experiências das mais diversas. Outro ponto fundamental é metrificar os seus resultados a partir da avaliação de engajamento e KPIs da marca.

Don Tapscott, autor de mais de 13 livros, incluindo sucessos como o Wikinomics e Macrowikinomics, finalizou o evento de maneira inspiracional. De início, instiga dizendo que carros são adorados mas, ao mesmo tempo, fazem parte de um grande desafio a ser resolvido e a própria indústria pode fazer parte da solução. Isso é apenas um prenúncio de uma verdadeira reflexão sobre os novos paradigmas da sociedade em rede. Segundo o autor, estamos migrando de uma sociedade industrial para a era da inteligência em rede e o combustível dessa mudança é a Internet. Quatro tópicos são propulsores dessa tendência: a revolução tecnológica, a nova geração, a revolução social e a revolução econômica.

Tudo isso exige que as companhias assumam uma nova abordagem utilizando os talentos de fora e os consumidores para dentro através de 7 insights: buscar o peer pioneirismo, medindo o comportamento do público para realizar mudanças. Promover a ideogara, ou seja, incentivar as pessoas a enviarem ideias. Fazer dos seus consumidores “prosumers” . Estar preparado para uma “Nova Alexandria”, em que o compartilhamento de objetos será padrão. Fazer do seu produto uma plataforma participativa, onde o próprio carro pode servir como um ambiente colaborativo para outras empresas, tais como de internet, tecnologia, entretenimento, aprimorando a experiência do seu produto final. Ter uma produção descentralizada e global para ser mais ágil e responsivo. Por fim, promover uma plataforma de trabalho colaborativo, liberando sua força de trabalho. Talvez este seja o primeiro passo para o futuro das empresas: o desenvolvimento de uma verdadeira consciência organizacional.

O evento teve ao todo sete palestrantes e foi transmitido via Hangout na página Google para seu Negócio. O encontro instigou as empresas automotivas a repensarem suas estratégias digitais e até mesmo o seu modelo de negócio para continuarem sendo desejadas pelos atuais e, principalmente, futuros consumidores.

Veja alguns dos melhores momentos do Think Auto with Google:

Thiago Machado
Diretor de Negócios para Automotivo, Finanças e Turismo, Google Brasil

[[inline-video-1]]

Paulo Kakinoff
Presidente da Gol Linhas Aéreas, Ex-presidente da Audi no Brasil e Ex-VP de Mkt da Volkswagen

[[inline-video-2]]

Cate Riegner
Vice President Research & Brand Insights, Co-Founder, Netpop Research
Josh Crandal
Netpop Research CEO, Co-Founder

[[inline-video-3]]

Gleidys Salvanha
Head de Desenvolvimento Estratégico de Agências, Google Brasil

[[inline-video-4]]

Julio Zaguini
Diretor de Agências, Google Brasil - ex-diretor de varejo do Google e Marketing do Carrefour

[[inline-video-5]]

Don Tapscott
Author, Speaker and advisor on media, tecnology and innovation. Autor de Macrowikinomics

[[inline-video-6]]

Encontre aqui as apresentações relacionadas ao evento:

A importância da experiência online do consumidor
Thiago Machado - Diretor de Negócios para a Indústria Automotiva

Mindset Digital - o que a indústria automotiva pode aprender com a indústria de turismo
Paulo Kakinoff - Presidente da Gol Linhas Aéreas Inteligentes

The challenges and opportunities of connectivity: Transforming shoppers into brand evangelists
Josh Crandall & Cate Riegner - Netpop Research

From TV to video: A importância de uma estratégia de vídeo digital para a indústria automotiva.
Gleidys Salvanha - Head de Desenvolvimento Estratégico de Agências, Google Brasil

Desmitificando as métricas. O Digital como driver de negocios.
Julio Zaguini - Diretor de Agências, Google Brasil

The auto industry in the age of networked intelligence
Don Tapscott - Author, Speaker and advisor on media, tecnology and innovation. Autor de Macrowikinomics