3 princípios para navegar no desconhecido e otimizar custos de TI

Flavio Franco / Agosto de 2020

Como reduzir custos para manter o funcionamento do negócio e, ao mesmo tempo, conseguir entregar o máximo de valor? Esse dilema faz parte da rotina de muitas empresas desde o início da pandemia. E na área de TI o desafio não foi diferente. Segundo a consultoria IDC, o cenário atual pode levar o mercado de TI na América Latina a uma perda de US$ 15 bilhões em 2020, com impactos no setor até 2021.

Em meio a tantas incertezas, uma conclusão é unânime: as empresas precisam estar preparadas. E não somente preparadas para o contexto em que vivemos agora, mas para qualquer desafio que possa surgir. Pensando nisso, compartilhamos 3 passos básicos que podem ajudar a manter uma estrutura sustentável, que consiga garantir um bom desempenho em qualquer cenário a um custo otimizado.

Passo 1: estabilizar a empresa

Qualquer estratégia para a área de TI precisa estar alinhada com os objetivos da empresa. Por isso, o primeiro passo é se certificar de que a empresa esteja estável — claro, dentro do possível neste momento — para conseguir compreender qual é sua situação atual.

Mas como? Comece pelo que há de mais valioso em uma organização: seus funcionários. Assegure-se de que estejam bem adaptados a este novo contexto, trabalhando com segurança e com todas as ferramentas necessárias para se comunicar e colaborar uns com os outros, mesmo trabalhando remotamente.

Em seguida, reúna as lideranças e faça uma análise minuciosa do fluxo de caixa da empresa para ter visibilidade sobre todas as entradas e saídas. Com essas informações em mente, estabeleça aonde a empresa precisa chegar para ter um controle maior dos custos, com objetivos que estejam de acordo com sua proposta de valor.

Passo 2: avaliar as soluções

Com o planejamento em dia, o passo seguinte é avaliar a estrutura de TI. Dependendo do setor, as demandas podem ter aumentado ou diminuído repentinamente. Por isso, é fundamental ter flexibilidade para conseguir se adaptar a essa nova realidade.

Reunimos 4 perguntas que podem ajudar a iniciar esse processo de análise:

3 princípios para navegar no desconhecido e otimizar custos de TI

Os resultados deste processo podem surpreender você. Um exemplo: somente a migração de dados do hardware para a nuvem pode gerar uma redução de custos significativa. Esse foi o caso do programa de fidelidade Dotz, que alcançou uma economia de R$ 800 mil por ano ao mover seus dados para a nuvem.

E lembre-se, o ponto essencial para lidar com o imprevisível é considerar flexibilizar os serviços contratados, seja em questões estruturais, seja em questões financeiras.

Passo 3: pensar em inovações

Conseguiu organizar a casa? Experimente pensar em inovações. Será que há tecnologias ainda não adotadas pela empresa que podem levá-la a um novo nível de engajamento com seus clientes e com o próprio mercado?

Em tempos de isolamento social, algumas soluções podem fazer a diferença: assistentes virtuais para atendimento ao público ou uma boa ferramenta de e-commerce têm sido, mais do que nunca, boas formas de falar com o público em meio à pandemia. E para elevar a operação da sua empresa a um outro nível, garantindo eficiência e resultados a um custo menor, há diferentes soluções: gestão e análise de dados, a adesão de inteligência artificial e machine learning, construir aplicações na nuvem, entre muitas outras.

Esteja preparado para o desconhecido

Para ter uma estrutura de TI resiliente, capaz de se adaptar aos cenários mais adversos, é preciso dar um passo atrás. Aproveite este momento para reavaliar o cenário da empresa como um todo e repensar como a tecnologia pode contribuir nesta nova realidade.

É um processo desafiador e determinante para o cenário que está por vir. E é exatamente por isso que a adesão a esses passos pode ser fundamental para que a área de TI, junto com toda a sua empresa, consiga se tornar suficientemente sustentável e flexível para enfrentar desafios.

Da saúde à comunicação: como o Google Cloud está ajudando na América Latina