A indústria dos games respondeu bem à pandemia. Veja 3 ensinamentos que podem impactar o seu marketing

Marianna Nash / Junho de 2020

Não é surpresa que, em tempos de isolamento, a indústria dos games online esteja indo tão bem. Em todo o mundo, o número de gamers já chega a 2,5 bilhões.1 E agora, com tantas pessoas procurando maneiras de passar o tempo e socializar com segurança em casa, muitas estão descobrindo o mundo dos games online.

E em meio a essa efervescência, a turma do marketing dos games não está ociosa. Eles têm respondido a esse cenário repensando estratégias de publicidade, atualizando posicionamento e mensagem, além de apresentar novos recursos para tornar os jogos mais divertidos de jogar em casa. Nessa esteira, vamos ver como estão as tendências e o comportamento em torno dos games pelo mundo, e como isso impacta os profissionais de marketing dentro e fora desse mercado.

Em busca de inspiração

Para lidar com a incerteza, escapar da monotonia e se conectar com os outros durante a quarentena, as pessoas estão em busca de novas experiências virtuais. Nem todas são gamers — na verdade, muitas estão jogando pela primeira vez na vida —, então elas estão buscando inspiração ativamente.

As buscas nos dão uma ideia de como as pessoas querem passar o tempo na quarentena, e as tendências refletem uma onda crescente de interesse pelos games online. Em abril, as buscas por “aplicativo de jogos” aumentou mais de 100% em apenas uma semana.2 De maneira mais ampla, as buscas por “melhores jogos online” aumentou 100% no YOY.3 E entre 35% e 44% das pessoas que responderam a uma enquete em 14 países disseram, igualmente, que haviam baixado um game ou um app de fitness/bem-estar na última semana.4

A indústria dos games respondeu bem à pandemia. Veja 3 ensinamentos que podem impactar o seu marketing

As visualizações de games em streaming também estão crescendo.5 Além de jogarem juntas, as pessoas estão formando comunidades online altamente engajadas, em plataformas que as permitem assistir e comentar os games em tempo real. Agora, em tempos de isolamento, como parte da campanha Fique em Casa #Comigo do YouTube, os creators estão facilitando ainda mais a conexão com o público, convidando seus fãs a jogar junto com eles.

A indústria dos games respondeu bem à pandemia. Veja 3 ensinamentos que podem impactar o seu marketing

O interesse de busca no YouTube por “gaming” quase dobrou desde 2019.6 Esse crescimento se relaciona com a descoberta, feita pela Nielsen, de que o streaming aumentou em todas as faixas de horário nos EUA,7 em parte graças aos streamings de games. Quem pensa em marketing para games estará no caminho certo se tentar atrair os fãs nas plataformas de streaming, tendo em mente que as descobertas ocorrem em uma gama variada de canais. Para encontrar as pessoas mais propensas a baixar jogos, pense em usar as campanhas para apps para promover seus games no YouTube, no Google Play Store e em outras plataformas importantes.

Mesmo os profissionais de marketing de fora dessa indústria também podem querer redirecionar seu investimento em anúncios para os games, tendo em vista que os apps de jogos online e os anúncios neles exibidos têm tido mais engajamento nas últimas semanas.

Seja social, mesmo a distância

Os jogos conectam milhões de pessoas em todo o mundo, todos os dias. Seja com creators compartilhando dicas no YouTube, seja com ambientes criativos no gameplay, todos estão atrás de experiências virtuais que os ajudem a cultivar relacionamentos, tanto os já existentes quanto os novos.

O interesse na busca por “games online para jogar com amigos” teve um salto de 20 vezes entre fevereiro e março deste ano, indicando que as pessoas estão procurando games que possam ser jogados com familiares e amigos do “mundo real”.8 Já o interesse de busca por “videogames multiplayer” cresceu fortemente no fim de março.9

A indústria dos games respondeu bem à pandemia. Veja 3 ensinamentos que podem impactar o seu marketing

Quem trabalha com marketing nessa área deve ficar em dia com as tendências dos games online, monitorando suas métricas para entender melhor o que as pessoas querem e procuram nos jogos. Por exemplo, segmentando seu público com base em novas tendências, as equipes de marketing podem se dirigir especificamente a quem busca a conexão, usando criativos atraentes que destaquem os aspectos sociais dos seus jogos.

Outros podem pensar em como criar uma comunidade em torno das suas ofertas. Há grande chance de os clientes serem receptivos: 83% dos consumidores dizem querer ver as marcas se conectando com as pessoas e as ajudando a ficar emocionalmente próximas, segundo a Edelman.10

Adapte a sua mensagem ao momento

Sempre foi fundamental para as marcas adequar seu tom ao momento, mas agora isso é mais crucial do que nunca, em um mercado dinâmico, com mudanças tão rápidas. O mesmo estudo da Edelman mostra que 89% dos consumidores consultados gostariam de ver as marcas oferecendo produtos gratuitos ou com preço baixo aos trabalhadores da área da saúde.11 Isso é importante para todas as marcas, mas especialmente para aquelas que se veem em condições de retribuir.

A desenvolvedora de games Playdots fez uma parceria e doou US$ 10.000 à Frontline Foods, uma instituição de caridade que apoia restaurantes locais comprando refeições e as entregando a trabalhadores da saúde. Um de seus jogos, chamado Two Dots, traz uma Caça ao Tesouro pela Caridade dentro do app, com um branding e mensagens que incentivam os jogadores a doarem. Nesse evento, as pessoas podem competir por um medalhão exclusivo chamado de Selfless Silverware (“Prataria da Generosidade”).

A iniciativa indica que quem trabalha no marketing de games pode servir melhor seus públicos crescentes contatando as pessoas pelos canais corretos, medindo as necessidades dos consumidores e atualizando suas estratégias de posicionamento e criativos com anúncios em resposta a seus aprendizados. Já os anunciantes de fora da área dos games poderiam pensar em como eles próprios poderiam criar um senso verdadeiro de comunidade em torno das suas ofertas. Eles também deveriam pensar, se é que já não pensaram, em como chegar até esse público que cresce tão rápido, que é tão engajado e que deseja mais e mais conteúdo.

Por dentro do marketing do Google: como estamos fortalecendo a representatividade feminina no mundo dos games