Dia do Consumidor: temos uma nova Black Friday?

Passado o fim de ano e o Carnaval, o varejo se prepara para sua primeira grande promoção, que vem despertando cada vez mais interesse do público: o Dia do Consumidor. Separamos alguns números e insights que podem ajudar na sua estratégia de comunicação e vendas para a data.

Criado em 2014, o Dia do Consumidor vem ganhando relevância no mercado junto a quem mais interessa: o público. Ele é a maior data do varejo no primeiro trimestre, e nosso estudo indica que 2018 tem tudo para ser a grande virada, como 2015 foi para o Black Friday.

Em 2014, apenas 27% dos brasileiros conheciam a Black Friday. O varejo abraçou a data, oferecendo grandes descontos e esse awareness mais que dobrou em 2015.

Dia-do-consumidior-1

De acordo com nossa pesquisa, realizada em janeiro e fevereiro, o cenário do Dia do Consumidor em 2018 é bem parecido com o do Black Friday entre 2014 e 2015. O brasileiro quer comprar, só depende do varejo dar os descontos.

Dia-do-consumidor-2

As buscas no Google sugerem que o Dia do Consumidor já começa a ganhar status entre as promoções de interesse do público: não só o volume de pesquisas vem crescendo a cada ano, como elas estão começando cada vez mais cedo.

twg_dia_do_consumidor_graphic3

À medida que o dia do evento se aproxima, as buscas por produtos ganham destaque sobre as buscas por varejistas ou pela expressão "dia do consumidor".

twg_dia_do_consumidor_graphic4

Embora o Dia do Consumidor tenha sido criado pelo varejo online e seja adotado, majoritariamente pelos e-commerces, os consumidores não pretendem ficar limitados às compras pela internet - eles também querem poder ir às lojas e levar seus produtos na hora.

twg_dia_do_consumidor_graphic5

Estamos falando de um público disposto a gastar. Em média, os entrevistados esperam despender R$ 690 no Dia do Consumidor - o que já é, em média, mais da metade da intenção de gasto na Black Friday 2017 (R$ 1.071)

twg_dia_do_consumidor_graphic6

Roupas e calçados são as categorias com maior intenção de compra e, para todas as categorias, os consumidores estão bem dispostos a esperar pelas promoções do Dia do Consumidor. É interessante notar que quanto maior o ticket médio da categoria, maior a disposição do público de esperar pelas ofertas.

twg_dia_do_consumidor_graphic7

Embora a intenção de compra de roupas e calçados seja maior, se pudessem escolher uma categoria para receber descontos, os smartphones seriam os eleitos dos consumidores, comprovando que eles querem comprar produtos mais caros, estão só esperando as promoções.

twg_dia_do_consumidor_graphic8

De acordo com os números acima, se perguntarmos ao consumidor se ele trocaria 50% de desconto no celular por 50% de desconto no quilo do feijão, é bem provável que ele diga um sonoro não. Mas isso não quer dizer que não haja uma grande expectativa com relação aos descontos em alimentos e bebidas. Nada menos que 50% dos entrevistados esperam ver promoções nesse segmento no Dia do Consumidor, e 55% deles dizem que saber de promoções de alimentos e bebidas os levariam ao supermercado na data.

twg_dia_do_consumidor_graphic9

Não podemos esquecer que em 2018 tem Copa do Mundo e a procura por determinados produtos – como TVs e camisas da Seleção Brasileira, por exemplo – tipicamente veem um aumento significativo nesses anos. Oferecer descontos no Dia do Consumidor pode ser uma grande oportunidade para alavancar ainda mais as vendas desses itens, que já estão na lista de desejos do público.

twg_dia_do_consumidor_graphic10

Está cada vez mais claro que o brasileiro vem recuperando a confiança no comércio e continua com muita vontade de comprar. Hoje, o consumidor pesquisa mais e, acima de tudo, está com muito mais paciência para esperar a promoção certa na hora de adquirir aquilo que quer.  

Apesar de ainda não ter a mesma relevância que a Black Friday, o Dia do Consumidor tem um bom apelo emocional e vem se consolidando como uma oportunidade de calendário do varejo. Quem decidir aproveitar o ineditismo da data, com certeza vai sair na frente.

Varejo no Brasil: o sucesso é omnichannel