Por um marketing que coloca a igualdade racial como prioridade

A equipe do Think with Google / Julho de 2020 / Busca, Vídeo, Tendências de Consumo, Publicidade

No Think with Google, o nosso objetivo é inspirar, educar e dar aos profissionais de marketing de todo o mundo acesso a dados, insights e perspectivas do Google e do YouTube que possam mudar a maneira de pensar e de fazer negócios.

E se há uma hora certa para a mudança, essa hora é agora. O foco intensificado no combate à desigualdade racial que vemos atualmente atingiu um ponto de virada. Segundo o Google Trends, as buscas por “George Floyd” estão sendo feitas em todo o mundo, e o interesse de busca por “protestos” está maior do que nunca nos EUA.1

No Brasil, país onde um jovem negro é assassinado a cada 23 minutos,2 o racismo ganha contornos próprios. E por aqui também houve buscas crescentes relacionadas às mortes de Miguel, João Pedro, Ágatha e Guilherme Silva Guedes, para citar apenas alguns dos nomes de jovens negros assassinados, crimes que igualmente têm impulsionado os protestos em todo o país.

Por um marketing que coloca a igualdade racial como prioridade

E tudo isso marca mais do que um momento. É um movimento.

Todos precisamos fazer mais para derrubar o racismo estrutural. O marketing tem o poder tanto de quebrar estereótipos quanto de consolidá-los, de fazer avançar os diálogos culturais ou de revertê-los. O marketing pode iniciar conversas, e é absurdamente óbvio que mais conversas sobre a desigualdade sistêmica e o racismo precisam existir.

Como escreveu recentemente o CEO do Google, Sundar Pichai: “Os eventos das últimas semanas refletem desafios estruturais profundos”.

Nós, profissionais do marketing, precisamos ter empatia, compreender e nos conectar com as outras pessoas. Todos temos de trabalhar para entender melhor e eliminar as desigualdades. Isso vai nos tornar melhores profissionais, mas, mais importante que isso: essa compreensão nos tornará melhores seres humanos.

“Os dolorosos eventos deste ano nos lembraram da importância da conexão humana e da necessidade de continuar a fortalecer os direitos humanos em todo o mundo”, escreveu a CEO do YouTube, Susan Wojcicki, em seu comunicado feito no meio de cada ano à comunidade do YouTube.

Por um marketing que coloca a igualdade racial como prioridade

Como disse Pichai, sabemos que temos um trabalho duro pela frente. É assim com o Google, e é assim com a nossa indústria. Estamos comprometidos em ser defensores da mudança, para educar, inspirar e acelerar o progresso no nosso ramo de atividade. Para avançarmos no tema, você vai ler no Think with Google ainda mais pontos de vista das pessoas de diferentes raças, e mais conteúdo sobre diversidade, inclusão, justiça e (des)igualdade na nossa indústria.

Cada marca tem uma plataforma que pode mudar os corações e as mentes das pessoas. Sabemos que muitos profissionais de marketing em todo o mundo estão tendo conversas semelhantes e traçando planos de ação. Por isso, vamos dividir um pouco daquilo que tem nos inspirado e o que estamos revisitando para basear o nosso trabalho daqui para a frente.

Por dentro do marketing do Google: o que estamos fazendo para garantir a representatividade e a inclusão nas nossas campanhas