Como ampliar os negócios com os novos meios de pagamento digitais

Dezembro de 2020

Na última década, os meios de pagamento sofreram profundas transformações no país. Os cartões (de crédito e débito) passaram a representar 39% das transações financeiras1, enquanto as compras em dinheiro vivo caíram de 46% para 31%. E, para além do meio eletrônico, o mundo digital começou a ganhar força mais recentemente no universo das transações bancárias. As buscas por links de pagamento e QR code este ano cresceram 375% e 103%, respectivamente2, enquanto os downloads de aplicativos de pagamento subiram 163%3. O recém-lançado Pix, que permite transferência de valores em poucos segundos, aumenta ainda mais o leque de opções de pagamento digitalizado.

Atualmente, os brasileiros já fazem 7 vezes mais pagamentos por link e 4 vezes mais transações sem contato4. Dos que já utilizaram algum tipo de carteira digital, um terço aderiu ao serviço nos últimos seis meses5. Essas novas tecnologias financeiras são ótimas notícias para o varejo, que já sabe que quanto mais opção der ao cliente, melhor. Pensando nisso, o Google Academy preparou uma série de conteúdos para ajudar as marcas a entender este novo momento do pagamento digital e potencializar suas vendas.

Neste vídeo sobre o varejo financeiro e a digitalização dos meios de pagamento, os Especialistas em Análises e Insights para o Varejo do Google, Ana Fritoli e Rafael Hidalgo, mostram a evolução das formas de pagamento na preferência do consumidor. As circunstâncias, o local e o valor da compra vão ditar a escolha pelo meio físico (dinheiro) ou eletrônico (cartão) e, com o boom do e-commerce na pandemia, os comportamentos digitais ganham cada vez mais espaço. O interesse crescente pelos pagamentos por app e QR Code mostra que os brasileiros são abertos à inovação e gostam de experimentar. Os meios de pagamento digital deixam de ser a opção de um nicho específico para se tornar relevantes para todo o mercado.

Os especialistas reforçam ainda que a financeirização do varejo é uma tendência, e os novos sistemas de pagamento funcionam até como uma estratégia de desenvolvimento para os negócios. O Pix, que vai funcionar 24 horas por dia e 7 dias por semana, deve mudar o mercado do varejo e entra na mira dos consumidores em um momento em que o Brasil ganhou mais de 10 milhões de brasileiros bancarizados na pandemia6.

Desde o início do cadastramento das chaves, no dia 5 de outubro, até a véspera do início do funcionamento do Pix, no dia 15 de novembro, 30 milhões de pessoas físicas e 1,8 milhão de pessoas jurídicas se juntaram ao novo sistema de pagamentos7. Entre as motivações para fazer o cadastro antes mesmo do lançamento, 24% dos entrevistados em pesquisa realizada pelo Google dizem acreditar nas vantagens do produto, e 21% deles diz gostar de testar novas tecnologias8.

Ao escolher produtos financeiros, tanto pessoas físicas quanto jurídicas buscam agilidade nas movimentações e redução ou ausência de tarifas9. Por isso, a economia e a rapidez promovidas pelo Pix indicam que ele terá uma adoção acelerada no Brasil — normalmente, pagamentos digitais levam alguns anos para ganhar escala. Além disso, a pandemia gerou um boom da digitalização no país, o que também contribui para uma popularização rápida deste novo modo de pagamento. A previsão de Vitor Zenaide, Líder de Insights de Mercado, é que o Pix seja um dos protagonistas nas vendas das datas comemorativas de 2021.

A digitalização dos meios de pagamento traz uma possibilidade de expansão de negócios ainda maior para microempreendedores individuais, autônomos e informais. A diversificação de meios de pagamento ajuda a conquistar mais clientes, que têm assim mais opções. Não à toa, 25% dos brasileiros já estão evitando o uso de dinheiro em espécie.10 Novos sistemas como o Pix têm pouco ou nenhum custo, o que é uma grande vantagem em um momento de crise.

Para manter os negócios funcionando e aumentar o faturamento, MEIs, autônomos e informais tiveram que se adaptar aos novos comportamentos dos consumidores e acelerar a digitalização de serviços e pagamentos. O interesse pelas fintechs tem aumentado, por elas se mostrarem aliadas desses pequenos empreendedores, é o que nos conta no vídeo acima Patrícia Moreira, Head de Negócios para indústria financeira no Google.

A pandemia impôs restrições severas, que obrigaram os empreendedores a se adaptar rapidamente. Nesse contexto, adotar novos sistemas e digitalizar os meios de pagamento é uma boa estratégia de negócios, tanto para as pequenas como para as grandes empresas.

O Google Academy tem buscado ajudar marcas, empresas e profissionais do mercado disponibilizando gratuitamente lives interativas com treinamentos e insights de negócios — na nossa collection, marcas, empresas e profissionais têm acesso a todo esse material

Como usar o contexto a favor dos negócios: os novos comportamentos de compra que vieram para ficar